Mesmo após decisão de Gebran Neto, plantonista manda soltar Lula de novo

Após o relator da Lava Jato no TRF-4, João Pedro Gebran Neto desautorizar o habeas corpus dado ao ex-presidente Lula

Parece que virou um “novela” a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Após o relator da Lava Jato no TRF-4, João Pedro Gebran Neto desautorizar o habeas corpus dado ao ex-presidente Lula, o desembargador Rogério Favreto insiste em acolher o pedido do petista, conforme a última decisão dada às 16h04 deste domingo.

Entenda

Lula foi condenado no processo do triplex, no âmbito da Operação Lava Jato, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O despacho determina a suspensão da execução provisória da pena e a liberdade de Lula.

Em trecho a decisão pede que “cumpra-se em regime de URGÊNCIA nesta data mediante apresentação do Alvará de Soltura ou desta ordem a qualquer autoridade policial presente na sede da carceragem da Superintendência da Policia Federal em Curitiba, onde se encontra recluso o paciente”.

Posição de Moro

De acordo com o G1, o juiz Sérgio Moro afirmou que o desembargador não tinha competência para mandar soltar Lula. Posteriomente, o plantonista TRF-4 voltou a determinar que Lula fosse solto. O Ministério Publico Federal, por sua vez, pediu a reconsideração da decisão sobre o pedido. Em seguida, o relator da Lava Jato em segunda instância , João Pedro Gebran Neto, determinou que Lula seja mantido preso.

O juiz Moro está em férias, mas, segundo a assessoria da Justiça Federal do Paraná, “por ser citado como autoridade coatora no Habeas corpus, ele entendeu possível despachar no processo”.

Comentários