Disney disponibilizará todo o seu catálogo em serviço de streaming próprio

Os lançamentos da empresa serão levados ao Disney+ um ano após estrearem nos cinemas

O Disney+ está cada vez mais próximo de ser lançado. E, de acordo com o CEO da Disney, Bob Iger, o serviço de streaming criado para concorrer com Netflix e Amazon Prime Video contará com todo o catálogo de filmes da empresa.

Isso significa que a companhia abandonará a chamada Disney Vault. Trata-se de uma política de liberar relançamentos de filmes clássicos em momentos pontuais e em quantidade limitada. Ela serve como uma forma de controlar o mercado e manter alta a demanda pelos títulos.

“Em algum momento, logo após o lançamento, ele [Disney+] abrigará todo o catálogo de filmes da Disney, de modo que os filmes dos quais você fala que tradicionalmente foram guardados em um ‘cofre’ e trazidos periodicamente estarão no serviço”, explicou Iger a investidores.

Ainda segundo o executivo, os novos filmes produzidos pela empresa irão à plataforma um ano após chegarem aos cinemas, começando por Capitã Marvel, que será o primeiro lançamento exclusivo no Disney+. “Vai combinar tanto o antigo quanto o novo”, resumiu Iger.

A Disney aposta na exclusividade e, por isso, concordou em deixar de ganhar US$ 150 milhões a que teria direito por um acordo com a Netflix. A empresa também acredita que o preço será um atrativo para a sua plataforma: ela custará “substancialmente menos” que a concorrência.

O serviço será formado por filmes e séries, incluindo produções originais. Além dos títulos clássicos como O Rei Leão e A Bela e a Fera, a plataforma terá séries de franquias como Star Wars e Marvel.

O Disney+ ainda não teve sua data de lançamento divulgada, mas já anima os investidores. O banco de investimentos JPMorgan, por exemplo, acredita que o serviço alcançará 160 milhões de assinantes, o que ultrapassaria a base atual da Netflix, de 139 milhões de assinantes. 

Tecnoblog

Comentários