Organização Mundial da Saúde sugere que crianças com menos de dois anos não devem ficar em frente a telas

OMS tem apontado os malefícios de deixar crianças assistirem TVs e usarem smartphones

A Organização Mundial da Saúde está reforçando os malefícios de deixar crianças assistirem TVs ou brincarem com smartphones, e incentivando que os pais ajudem seus filhos a se manterem ativos e dormirem o suficiente.

Nesta semana, a agência mundial de saúde pública lançou recomendações sobre a quantidade de atividades físicas e de sono que as crianças com menos de cinco anos devem ter para crescerem da forma mais saudável possível. As recomendações incluem limites para o tempo em frente de telas, especialmente para aqueles que não completaram dois anos. Os mais novos devem evitar telas como um todo, segundo a OMS, enquanto as crianças entre dois e cinco anos devem ficar no máximo uma hora por dia.

“Melhorar a atividade física, reduzir o tempo sem atividades e assegurar sono de qualidade para crianças pequenas irá melhorar a saúde física, mental e o bem-estar, além de ajudar a previnir obesidade infantil e doenças associadas a isso no futuro de suas vidas”, disse Fiona Bull, gerente do programa de observação e prevenção de doenças não-comunicáveis da OMS.

As recomendações da OMS são mais restritas do que outras já lançadas por outras agências de saúde pública. Em 2016, por exemplo, a Academia Americana de Pediatras recomendou que crianças com menos de 18 meses não fiquem em frente de telas, enquanto crianças com entre dois e cinco anos podem ficar de uma a duas horas por dia.

Mas mesmo essas recomendações pareciam refletir uma mudança de pensamento sobre o tempo que crianças podem passar em frente de telas, com a AAP ressaltando que a qualidade do que as crianças assistem (como materiais educativos contra desenhos violentos) ou se eles estão interagindo com seus pais durante o tempo que passa em frente a tela são fatores mais importantes do que a quantidade exata que eles passam assistindo TV ou mexendo no celular.

Desde então, pesquisadores argumentaram que mesmo essas diretrizes mais flexíveis estão perdendo o foco, dado que alguns estudos mostraram não existir ligação direta entre mais tempo passado em frente de telas e piores consequências de saúde como depressão, ansiedade e insônia.

A OMS, por sua vez, vê essas recomendações como um trabalho para assegurar que crianças pequenas desenvolvam hábitos saudáveis desde cedo. Por exemplo, a agência diz que o tempo sedentário, não apenas em frente de telas, deve ser limitado a não mais do que uma hora por vez, e que os cuidadores devem contar histórias e ler para as crianças. Sobre o sono, eles recomendam que crianças com um a dois anos durmam de 11 a 14 horas todas as noites, enquanto aqueles que têm de três a quatro anos durmam por 10 a 13 horas por noite. Crianças com mais de um ano também devem praticar 180 minutos de atividades físicas todos os dias, com pelo menos uma hora de exercícios de moderados para intenso.

“O que realmente queremos é fazer com que as crianças voltem a brincar”, disse Juana Willumsen, funcionária da OMS com foco em obesidade e atividades físicas infantis.

Gizmodo

Comentários