Magazine Luiza deve comprar Netshoes por quase 100 milhões de dólares

Rede varejista tem a concorrência da Centauro, mas é a favorita para adquirir as ações

Dono da rede Centauro, o Grupo SBF fez duas propostas para adquirir a Netshoes — a última no valor de US$ 109 milhões. Mas as chances de que o grupo consiga fechar negócio são pequenas: nesta semana, o conselho de administração da loja online de artigos esportivos recomendou aos acionistas que a venda seja feita para a Magazine Luiza.

Esse era o plano original, na verdade. No fim de abril, a Magazine Luiza anunciou um acordo para comprar a Netshoes por US$ 62 milhões (US$ 2 por ação) — a loja online tem sede nas Ilhas Cayman, daí a negociação em dólares.

Mas, três semanas depois, no mesmo dia em que a Magazine Luiza anunciou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a sua oferta, o Grupo SBF fez uma proposta de US$ 87 milhões (US$ 2,80 por ação) para comprar a Netshoes.

Sem perder tempo, a Magazine Luiza fez uma nova proposta: aumentou a sua oferta de US$ 62 milhões para US$ 93 milhões (US$ 3 por ação). Poucos dias depois, o Grupo SBF reagiu com uma oferta de US$ 109 milhões (US$ 3,50 por ação).

Para dar um peso maior à oferta, o grupo se comprometeu ainda a fazer um aporte de até R$ 70 milhões na Netshoes imediatamente após a aprovação do negócio, além de firmar um contrato para disponibilizar os produtos da Centauro na plataforma da loja online.

Soa como uma proposta imperdível, certo? Apesar disso, o conselho de administração da Netshoes recomendou que o negócio seja fechado com a Magazine Luiza. A proposta do Grupo SBF estenderia o processo de venda.

E por que isso é um problema? A Netshoes está em uma corrida contra o tempo. A empresa tem fechado os últimos anos com prejuízo e, estima-se, precisa de pelo menos R$ 150 milhões para manter as suas operações durante os próximos meses.

Diante desse cenário, o conselho de administração da Netshoes informou que “o preço incremental diferencial oferecido pela Centauro foi insuficiente para compensar riscos relacionados a um cronograma mais longo para o fechamento”.

Já a proposta da Magazine Luiza, por ter recebido sinal verde do Cade, pode fazer a venda ser concluída em até cinco dias úteis após a aprovação dos acionistas na assembleia extraordinária marcada para tratar do assunto.

Essa recomendação teve um efeito colateral: as ações da Netshoes vêm experimentando baixas desde então. Mas, como a assembleia está marcada para 14 de junho, a oscilação motivada pela incerteza não deve durar muito.

Talvez o Grupo SBF ainda consiga convencer os acionistas ou até mesmo incrementar a sua última oferta. Mas, a essa altura, a venda para a Magazine Luiza já é tida como praticamente certa.

Tecnoblog

Comentários