Vencedor do Oscar se declarou fã de cineasta conquistense

Além dele, o lendário Martin Scorsese também já afirmou ter sido influenciado por diretor

Por: Lucas Tinôco

A madrugada do domingo (09) para a segunda (10) entrou para a história da indústria cinematográfica após o filme "Parasita" conquistar a estatueta de "melhor filme", sagrando-se o primeiro filme de idioma não-inglês a vencer a premiação.

O grande responsável pela obra foi o diretor Bong Joon-Ho, de 50 anos, que dirigiu outros longas como "Memórias de Um Assassino" (2003), seu primeiro sucesso de crítica e comercial, "O hospedeiro", de 2006 e, mais recentemente, "Okja" (2017), produzido pela Netflix.

Vencedor de outras três estatuetas (Melhor Filme Internacional, Melhor Diretor e Melhor Roteiro Original), o sul-coreano já declarou ser um fã do conquistense Glauber Rocha. Em 2017, para "O Globo", Joon-Ho afirmou que "Deus e o diabo na terra do sol", de 1964, é o melhor filme que já viu:

"Sempre que posso, confiro o que estão fazendo os novos diretores chilenos, peruanos, argentinos, brasileiros. Porém, de todos eles, 'Deus e o diabo na terra do sol' (1964), do Glauber Rocha, foi o filme que jamais saiu de minha cabeça. É impressionante, ainda hoje fico de boca aberta ao rever aquela maravilha", disse ele.

Glauber é uma referência para grandes diretores. Outro exemplo é Martin Scorsese, que era concorrente de Bong Joon-Ho com o filme "O Irlandês". O norte-americano de 77 anos já afirmou ter se inspirado no diretor conquistense quando produzia "Touro Indomável", de 1980, uma das suas obras primas.

De acordo com Scorsese, o "Dragão" do filme "O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro", de 1969, exerceu enorme influência sobre o seu longa. Além disso, no YouTube há diversos vídeos em que ele fala sobre as obras de Glauber Rocha, mostrando extremo conhecimento.

Comentários