Google se recusa a tirar aplicativo de cura gay de sua loja virtual

O Google se recusou a se reunir com grupos LGBTI que querem encontrar os executivos da empresa cara a cara para expressar suas preocupações

Apesar da forte pressão de muitos ativistas, o Google se recusou a tirar do catálogo de sua loja online um aplicativo de “cura gay”.

De acordo com a denúncia do Gay Star News, o app do Living Hope que a atração pelo mesmo sexo é mutável e pecaminosa, está disponível na Google Play Store para usuários do Android e é ilegal.

O Google se recusou a se reunir com grupos LGBTI que querem encontrar os executivos da empresa cara a cara para expressar suas preocupações, informou o site Axios nesta quinta-feira(21).

Houveram esforços tanto da Human Rights Campaign (HRC) quanto do Trevor Project para entrar em contato com a famosa corporação tecnológica para remover o aplicativo. Diversos grupos de saúde categorizam a terapia de “cura gay” como extremamente perigosa para a saúde mental e física de um indivíduo.

Sediado no Texas, o grupo dono do aplicativo afirmou que os “estilos de vida LGBTI” são prejudiciais e chegou até a comparar a um “vício”, “doença” e “pecado sexual”. 
No aplicatico, existe uma página de conselhos, onde o autor diz “fique em contato com a igreja” e “deixar de acretidar na mentira de que você é diferente.”

Comentários