ENTREVISTA: Evandro Correia mostra que ter mais de 30 anos de carreira não é fácil e conta tudo para a MEGA

Evandro Correia nos contou tudo e mais um pouco sobre seus anos no universo musical

Por Joabson Silva e Lucas Tinôco

 

Completando mais de 30 anos de carreira neste ano, o cantor e compositor Evandro Correia celebra a sua maturidade artística com um novo CD que deve ser lançado nos próximos meses. Intitulado "Os Sete Quereres", o álbum sem participações especiais, mas com diversas canções autorais será um marco desse novo ciclo do artista.

No último dia 30 de abril, para comemorar tal eventualidade, Evandro Correia recebeu no Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima, em Vitória da Conquista, diversos familiares, amigos e fãs do seu trabalho. Na oportunidade, o cantor gravou um DVD com participações especiais como: Rosa Aurich, Nay Caldas e sua filha, Marlua.

O artista se consagra na MPB e ao longo de sua trajetória, com mais de 105 músicas gravadas e nove discos, teve a oportunidade de gravar com grandes nomes como Nelson Angelo, um dos fundadores do Clube da Esquina. "Tudo é consequência do trabalho, está tudo traçado lá em cima. O que vier pra somar é bem vindo", disse o músico.

E abrindo a ENTREVISTA MEGA (entrevista especial toda semana), Evandro Correia nos contou tudo e mais um pouco sobre seus anos no universo musical.

MEGA: Você está completando 30 anos de carreira, o que passa na sua cabeça ao olhar para esses anos de estrada?

Na verdade são 40 e tanto, mas desde o primeiro disco faz 30 anos. Aquela correria de iniciante cheio de sonhos, cheio de "baque", cheio de carinhos e afagos. Eu costumo dizer para os amigos que sou um homem de sorte de ter conseguido tanta coisa. Agradeço a Deus todos os dias e continuo correndo atrás com o mesmo sonho, com a mesma vontade do começo.

MEGA: Quais foram suas influências musicais?

Todas possíveis, todas que eu tive acesso e que me tocaram, independente de ser uma pérola da MPB ou mais urbana.

MEGA: Como a estrada te inspirou em suas composições?

Todos os lugares que eu fui tocar, todos os lugares que eu passei sempre me acrescentou algo de muito importante, de muito bom e todos os cantos que eu quero passar, acredito que vai ser assim. Todos vão me acrescentar, vão me ensinar, vou poder dividir também.

MEGA: De seu repertório, qual canção é a sua “menina dos olhos”?

No comecinho da carreira eu achava aquela ou outra, mas hoje não.  Por mais que eu queira escolher uma canção é o púbico que deve escolher a canção que mais goste. Todas as canções são importante para mim, independente se cai no gosto popular.

 

MEGA: Sua filha Marlua, também é cantora. Você a incentivou?

Marlua desde pequena sempre seguiu o caminho dela. Teimosa demais (risos)... Achei bacana [ela ter seguido o caminho da música]. Ela começou a cursar Agronomia, depois largou o curso. Fez o mesmo com Cinema... Sempre cantou e sempre gostou de cantar e escolheu o que ela quer fazer, o que satisfaz ela, o que deixa ela mais feliz. Pra mim não foi uma novidade não. Eu trato as pessoas com todos os quereres e vontades próprias. Cada um tem seu caminho. Temos que respeitar as escolhas individuais, sempre ajudando, nunca atrapalhando.

MEGA: Você teve alguma influência na família que tenha inspirado a você seguir por esse ramo?

Marlua sempre viu tocando, então não dá pra dizer que não teve minha influência. No meu caso tinha meu avô que tocava na família, mas não o conheci. Na rua onde eu morava tinham vários tocadores de violão, final de semana vários tocavam no Alto Maron, na rua Eduardo da Costa, onde eu nasci. Era futebol e música.

Marlua (filha) e Evandro Correia - Foto: BDRF

MEGA: Ao ver a sua plateia nas suas apresentações, a presença maior é de fãs que acompanham sua trajetória, ou há renovação entre os espectadores?

Ultimamente tem muita gente jovem cantando minhas músicas e isso me surpreende muito e me dá mais coragem e responsabilidade pra seguir em frente, pra continuar com meu trabalho. Isso é muito bom. Ver que as canções que fiz há 20, 30, 40 anos estão chegando no ouvido e no coração das pessoas.

MEGA: Existe algum artista que você tem vontade de fazer uma parceria?

No começo da carreira a gente sempre tem, mas depois vai passando. Acho que isso é consequência. Eu nunca imaginei fazer parceria com Nelson Angelo, um dos fundadores do Clube da Esquina. Tudo é consequência do trabalho, está tudo traçado lá em cima. O que vier pra somar é bem vindo.

MEGA: O que significa pra você ser Evandro Correia?

Tava conversando lá em casa... A cada dia que passa vou me tornando mais consciente dos meus passos, dos meus atos, porque queira ou não queira as minhas canções e letras influenciam as pessoas. É muita responsabilidade! Muito amor pela vida, pelas pessoas, uma coisa muito grande! Ao longo desse tempo que Deus tá me dando eu vou descobrir a importância maior disso.

Gravação do DVD no Centro de Cultura - Foto: BDRF

 

 

 

Comentários