Sua família não é melhor que a minha, diz senador alvo de frase homofóbica a bolsonarista na CPI

Fabiano Contarato (Rede-ES), que é casado com um homem e tem dois filhos, pediu à Polícia Legislativa para investigar por homofobia o empresário Otávio Fakhoury, depoente nesta quinta

Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado


O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) fez um discurso na abertura da sessão da CPI da Covid desta quinta-feira (30) no qual protestou contra uma frase homofóbica postada em rede social pelo depoente, o empresário bolsonarista Otávio Fakhoury.

A mensagem de Fakhoury à qual Contarato se referiu apontava um erro de ortografia cometido pelo senador, também em uma rede social. Na ocasião, o parlamentar havia comentado o depoimento à CPI, em maio, do ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten. Contarato escreveu que Wajngarten deveria ser preso e que, no depoimento, havia se configurado "estado fragancial (sic)".

"O delegado [Contarato], homossexual assumido, talvez estivesse pensando no perfume de alguma pessoa ali daquele plenário... Quem seria o 'perfumado' que lhe cativou?", escreveu o empresário bolsonarista.

Contarato, que é casado com um homem e tem dois filhos, disse para Fakhoury:

"O senhor não é um adolescente. O senhor é casado, tem filhos. A sua família não é melhor que a minha", afirmou o senador.

Contarato também pediu que a Polícia Legislativa investigue Fakhoury por homofobia. O vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), pediu que o Ministério Público Federal seja informado sobre "ocorrência de eventual crime de homofobia por parte do depoente".

Contarato discursou da cadeira da presidência da CPI, cedida pelo presidente, Omar Aziz (PSD-AM) para dar destaque à fala. Com a voz embargada, dirigindo-se a Fakhoury, afirmou:

"Eu aprendi que a orientação sexual não define caráter, a cor da pele não define o caráter, poder aquisitivo não define caráter", disse. "Eu sonho com o dia em que eu não vou ser julgado por minha orientação sexual. Sonho com o dia em que meus filhos não serão julgados por ser negros. Eu sonho com um dia em que minha irmã não vai ser julgada por ser mulher e que o meu pai não será julgado por ser idoso", declarou o senador.

G1

Comentários