Deputada aciona MPF contra Guedes e presidente do BC por offshores

Quem tem cargo público está sujeito a regras para impedir o autofavorecimento

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados 


A deputada Natália Bonavides (PT-RN) acionou o Ministério Público Federal (MPF) para apurar suposto conflito de interesse do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto. Os dois mantiveram offshores mesmo após assumir os cargos.

De acordo com o site Poder360, a parlamentar afirma haver “dúvidas” sobre a conduta de ambos após a revelação da existência das offshores. O caso foi divulgado no domingo (3) pelo ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, na sigla em inglês), que contou com a colaboração de veículos brasileiros.

VEJA TAMBÉM: Justiça da Bahia condena banco em R$ 10 mil por sujar nome de consumidora sem motivo

É legítimo ter uma offshore no Brasil, desde que ela seja declarada à Receita Federal e ao BC, e o dinheiro tenha origem lícita. Quem tem cargo público, no entanto, está sujeito a regras para impedir o autofavorecimento.

Campos Neto afirmou ao ICIJ que as offshores foram encerradas. Porém, reuniões apontam que o presidente do BC ainda estava administrando as empresas enquanto comandava a instituição. Otto Alencar disse que o posicionamento divulgado pelo banqueiro ainda está sendo analisado. O presidente do BC afirma não ter feito também nenhuma remessa de recursos nem investimentos com os recursos lá depositados. Guedes não respondeu diretamente.

Bonavides afirmou ao MPF que é preciso apurar se Guedes e Campos Neto violaram tais normas ao manter empresas que poderiam, direta ou indiretamente, serem beneficiadas pela política econômica e monetária do governo.

BNEWS

Comentários