Vamos trabalhar muito para evitar 2º turno entre Lula e Bolsonaro, diz ACM Neto sobre o União Brasil

Presidente do DEM será secretário-geral de partido formado a partir de fusão com o PSL

Foto: Reprodução/Instagram/DEM


O presidente do DEM, ACM Neto, secretário-geral do partido que resultará da fusão com o PSL, o União Brasil, afirma que a nova legenda terá como uma das prioridades atuar para evitar que o segundo turno seja entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Vamos trabalhar muito para evitar que este cenário se coloque. O nascimento do partido tem esse objetivo, de dar uma mexida, uma sacudida nesse campo", afirmou ele em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

VEJA TAMBÉM: Rui decide hoje se libera público nos estádios e aulas 100% presenciais

O ex-prefeito de Salvador voltou a repetir que o União Brasil tem três pré-candidatos: Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde (DEM); o apresentador José Luiz Datena (PSL); e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Na entrevista à Folha, ACM Neto evitou definir o partido como de direita e disse que a legenda prega a defesa da democracia e as liberdades individuais. De acordo com ele, será um partido "sem dono".

Sobre um nome que poderá apoiar na dispauta, disse ter preferênciapor Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, frente a João Doria, governador de São Paulo, nas prévias que o PSDB fará em novembro.

Quanto à visão de líderes partidários, que dizem que o seu partido foi incorporado pelo PSL, ACM Neto afirma que se trata de inveja.

METRO1

Comentários