Rui Costa diz que acha precipitada desobrigação do uso de máscaras

A segunda etapa de redução das medidas restritivas prevê que, com 65% da população com esquema vacinal completo, haverá desobrigação no uso de máscaras em locais abertos sem aglomeração

Foto: Divulgação


O governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse, durante transmissão ao vivo nas redes sociais na quarta-feira (6), que acha precipitadas declarações de autoridades públicas sobre a desobrigação do uso de máscaras durante a pandemia de covid-19. "Eu acho essas declarações precipitadas. O vírus continua circulando. Acho extremamente arriscado, porque o vírus vai sofrendo mutação", afirmou. 

Na segunda-feira (4), o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), se pronunciou no Twitter estimando o fim da obrigação do uso de máscaras já no próximo dia 15. O gestor citou ata do Comitê Científico do município.

No documento, a segunda etapa de redução das medidas restritivas prevê que, com 65% da população com esquema vacinal completo, haverá desobrigação no uso de máscaras em locais abertos sem aglomeração, mantendo sua utilização obrigatória onde não se consiga manter o distanciamento.

"Em breve"

Em setembro, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que, em breve, a população brasileira será desobrigada a usar máscara para combater o coronavírus. "Fui à Itália para o encontro do G20 e estava todo mundo sem máscara na rua. Fiz uma audiência bilateral com o diretor da OMS, no terraço. Eu estava de máscara e ele disse: 'Ministro, vamos tirar as máscaras que aqui não precisa'".

No mesmo dia em que Queiroga viajou para Nova York com a comitiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que participou da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas, foi divulgado que ele estava contaminado com o coronavírus.

No último domingo (3), o ministro anunciou que já cumpriu o isolamento e testou negativo para covid-19. Queiroga já está no Brasil.

BNEWS

Comentários