Grávida fica ferida após motorista perder controle da direção e carro capotar na BR-324, no interior da Bahia

Acidente aconteceu na manhã desta sexta-feira (8), quando um caminhão fazia uma ultrapassagem forçada em uma lombada, de acordo com a Brigada Voluntária Anjos da Caatinga

Foto: Arquivo Pessoal/Brigada Voluntária Anjos da Caatinga


Uma mulher grávida ficou ferida após um capotamento na BR-324, em Nova Fátima, a cerca de de 227 quilômetros de Salvador, na manhã desta sexta-feira (8). As informações são da Brigada Voluntária Anjos da Caatinga.

De acordo com a Brigada, o marido da grávida perdeu o controle da direção e o carro capotou. No acidente, a mulher, que foi identificada apenas como Hilana, de 26 anos teve um corte na cabeça e escoriações pelo corpo. Já o marido dela, Isaac, de 31 anos, relatou sentir dores nas costas.

Ainda de acordo com a Brigada, o condutor do veículo informou que o acidente aconteceu quando um caminhão fazia uma ultrapassagem forçada em uma lombada na BR-324. Ele tentou desviar para o acostamento e perdeu o controle do veículo, o que causou o capotamento.

VEJA TAMBÉM: Rui Costa crava data para aulas 100% presenciais na rede estadual, em outubro

O veículo ficou destruído e foi parar em uma área de terra do acostamento da rodovia, o que não causou congestionamento. O motorista ainda disse que ele e a esposa ficaram presos pelo cinto de segurança, mas conseguiram sair do carro.

O casal saiu da cidade de Capim Grosso, a cerca de 300 quilômetros de Salvador, e seguia para Feira de Santana, para a realização de exames da gestante.

O casal foi encaminhado para o Hospital Municipal de Nova Fátima. O estado de saúde deles não foi divulgado.

A Brigada Voluntária contou com o apoio do motorista de uma ambulância e de um médico de Capela do Alto Alegre, a cerca de 26 km de Nova Fátima - local do capotamento -, que passaram pelo local no momento do acidente. A Polícia Militar também esteve na rodovia.

A equipe de voluntários permaneceu no local para sinalização da via até a chegada da polícia Rodoviária Federal (PRF).

G1

Comentários