FAB lança termo de recusa de vacinação e libera retorno de militares não imunizados

A FAB afirmou que não existe qualquer tipo de sanção prevista para os militares que decidirem não se vacinar contra a covid-19

Foto: Divulgação


A Força Aérea Brasileira (FAB) decidiu liberar o retorno de militares não vacinados contra a covid-19 ao trabalho presencial, porém, eles terão que assinar um termo de recusa de vacinação. As informações são da coluna de Bela Megale, no jornal O Globo.

No documento, o militar terá que preencher seu nome e outros dados pessoais. "Declaro para os devidos fins que me recuso a ser vacinado contra a Covid-19, mesmo sendo encaminhado para a vacinação pela minha Organização Militar e orientado quanto à importância da vacinação para a imunização e proteção da minha saúde, estando ciente ainda que a falta de imunização, neste caso, não importará em não exercício das minhas atividades profissionais habitais”, diz trecho.

VEJA TAMBÉM: Relator da CPI da Covid deve propor pena de dois anos de prisão para quem divulgar fake news

Procurada pela reportagem, a FAB afirmou que não existe qualquer tipo de sanção prevista para os militares que decidirem não se vacinar contra a covid-19. "O preenchimento de termo de compromisso por militares que optaram por não tomar as vacinas disponibilizadas até o momento contra COVID-19 tem o objetivo de controle e acompanhamento do efetivo da Força Aérea Brasileira por meio de sua Diretoria de Saúde".

“Por conta da transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o território nacional, não é possível afirmar a origem de contágio para casos da doença. Desde que foram reportados os primeiros casos do novo coronavírus no Brasil, a FAB tem empenhado esforços para garantir a saúde e proteção de seus integrantes, readequando atividades e implementando procedimentos de prevenção alinhados aos protocolos previstos”, completa FAB.

BNEWS

Comentários