Irmã do advogado sustenta tese que confusão para desarmar Kezia gerou disparo acidental

O depoimento foi colhido no domingo (17) no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), órgão da Polícia Civil

Foto: Reprodução 


Em depoimento, a irmã do advogado José Luiz de Britto, Isabella Pitta Meira, alegou que Kézia Ribeiro, morta após desentendimento com Luiz, havia o ameaçado com uma faca e teria pegado a arma dele antes da fatalidade. O fato havia sido narrado pelo advogado. Ele foi preso, em flagrante, na casa de Isabella após o ocorrido. 

Isabella informou que o irmão foi agredido por Kezia e no momento o qual ela estava com a arma, tentou desarma-la e o disparo acidental, alegação da defesa da Luiz, aconteceu. 

O depoimento foi colhido no domingo (17) no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), órgão da Polícia Civil. 

VEJA TAMBÉM: Vai ter, sim, Carnaval, diz Comandante de Operações da PM-BA

A irmã também apontou que Luiz não permaneceu no Hospital Geral do Estado, local onde levou Kezia, por ter ficado desnorteado com o ocorrido. 

O carro utilizado por ele foi o do marido de Isabella, um modelo Chevrolet Onix, pois o veículo do advogado, segundo o depoimento de Isabella, estava na oficina. 

Ela também alegou que no momento da prisão em flagrante, quando foi informado pelo porteiro do seu prédio da presença da polícia, eles já se preparavam para seguir até o DHPP para o advogado se apresentar.

BNews

Comentários