Valor dos pedágios em rodovias podem ficar mais caros para recompor perdas das concessionárias com a pandemia

Além dos aumentos das tarifas, são analisadas outras duas possibilidades para reequilibrar os contratos de concessão

Uma notícia que pode pesar no bolso de quem costuma fazer viagens e passar por rodovias federais. Em breve, os pedágios das rodovias de todo o país poderão ficar mais caros para compensar prejuízos provocados pela pandemia da Covid-19. A Audiência Pública nº 3/2021 começará hoje (22) e receberá, por 29 dias, sugestões e contribuições para elaborar uma metodologia de reequilíbrio contratual para concessões sob gestão da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

De acordo com estudo elaborado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), o impacto financeiro total sobre a receita bruta das empresas associadas à entidade superou 1,3 bilhão de reais – a queda nos doze meses que antecederam março foi de até 13,2%.

Além dos aumentos das tarifas, são analisadas outras duas possibilidades para reequilibrar os contratos de concessão: aporte de dinheiro por parte do poder público e extensão do tempo de contrato para que a concessionária recupere as perdas financeiras dos últimos meses.

O diretor-presidente da ABCR diz que “certamente a ANTT levará este aspecto [impacto para o consumidor em meio à crise econômica do país] em consideração” e que, dependendo do caso, os aumentos podem ser escalonados para diminuir os impactos para os usuários das rodovias.

Segundo a autarquia federal responsável pela regulação das atividades de exploração da infraestrutura rodoviária, as metodologias ainda estão em discussão e deverão passar pela Audiência Pública, seguidas pela aprovação da diretoria. Portanto, “ainda é uma proposta e não há como afirmar qual será a forma de reequilíbrio”.

Comentários