Para delegada, filho de Flordelis não gostava de sexo entre todos

Julgamento de dois filhos da ex-deputada teve início nesta terça-feira

Foto: Domingos Peixoto/ Agência O Globo


A primeira pessoa a depor no julgamento de dois filhos da ex-deputada federal Flordelis, nesta terça-feira, foi a delegada Bárbara Lomba, que atuou no caso do assassinato. Segundo o jornal Extra, Bárbara disse que os dois irmãos não articularam o crime sozinhos.

"Eles eram peças manobradas. Nós víamos que não foram eles que tinham pensado no homicídio, planejado o homicídio sozinhos. Eles sofriam influência, e, por isso, teve o pedido para que eles ficassem presos na delegacia durante o período de prisão temporária. O Anderson virou marido da Flordelis, mas não era exclusivamente com ele que ela se relacionava. […] Havia relações sexuais entre todos. Era uma relação aberta. Flávio nunca aceitou e foi morar com a avó. Foi possível perceber que [isso lhe] provocava um abalo emocional", afirmou a delegada.

Ela apontou ainda que havia diferenciação de tratamento entre os filhos.

"Embora vários filhos tenham sido adotados, havia tratamentos diferenciados, como separação de comida, alimentação diferente, locais onde ficavam na casa. Me parece que o pastor teve visão quase que empresarial de tudo isso. Ele viu que a Flordelis seria um personagem interessante para ganhar dinheiro. Essa coisa da adoção é uma coisa que vende. Ele [Anderson] não tinha uma relação afetiva com ninguém, era muito rígido".

Outras dez pessoas, incluindo Flordelis, também respondem pelo assassinato de Anderson. Mas o julgamento delas ainda não foi marcado.

Pleno News

Comentários