Bolsonaro cita mudanças na Lei Rouanet e ataca Ivete Sangalo, mas cantora não tem projetos na lei

Cantora baiana atraiu a atenção dos bolsonaristas após incentivar, em show, o coro do público contra o presidente

Foto: Reprodução


Após receber alta do hospital Vila Nova Star, onde estava internado desde a última segunda-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro (PL) aproveitou a conversa com a imprensa para criticar a cantora Ivete Sangalo, e citar mais uma vez a Lei Rouanet.

A cantora baiana atraiu a atenção dos bolsonaristas após incentivar, em show no Rio Grande do Norte, o coro do público, que entoava "Ei Bolsonaro, vai tomar no cu". Em resposta, a cantora disse: "Não ouvi. Tá baixinho".

Nesta quarta-feira (5), Bolsonaro justificou a insatisfação da artista com as mudanças na Lei Rouanet, de incentivo à cultura. No entanto, Ivete Sangalo não tem projetos aprovados na lei, segundo apurou a coluna de Guilherme Amado, no portal Metropoles. 

“Estamos mexendo na Lei Rouanet. Quando entrei no governo, o limite para artistas era de R$ 10 milhões por ano. Eu passei imediatamente para R$ 1 milhão. Estou conversando com o Mario Frias agora e vamos passar, nos próximos dias, para R$ 500 mil. Queremos atender àquele artista que está começando a carreira, e não figurões ou figuronas como a querida Ivete Sangalo”, alfinetou Bolsonaro.

 

VEJA TAMBÉM: Bolsonaro diz ter dado só uma fugidinha e nega uso político de internação

 

O secretário especial da Cultura, Mario Frias, também revidou e usou as redes sociais para se manifestar contra a cantora, que chamou de "animadora de militante esquerdista". 

metro1

Comentários