Eleições podem bater recorde de debates, mas com ausência de Lula e Bolsonaro

Ao todo, estão previstos dez debates no primeiro turno e outros seis no segundo, caso ocorra

Os dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas de intenção de voto para a presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ​Jair Bolsonaro (PL), podem não participar dos debates televisivos neste ano. Trata-se do pleito com o maior número de debates da história. Ao todo, estão previstos dez debates no primeiro turno e outros seis no segundo, caso ocorra.

Se todos esses eventos forem realizados, será batido o recorde da disputa de 2010, quando Dilma Rousseff (PT) se elegeu pela primeira vez. Naquele ano, nove debates foram organizados no primeiro turno e outros quatro no segundo.

A campanha de Lula tem defendido a realização de apenas três debates no primeiro turno, por meio de um pool de emissoras. A de Bolsonaro sequer tem enviado representantes para as reuniões com os órgãos de imprensa, segundo as campanhas.

Diferentemente das propagandas na TV e no rádio, em que os candidatos são apresentados sob o verniz do marketing eleitoral, os debates submetem os concorrentes, ao vivo, ao escrutínio de adversários e jornalistas.

Comentários